Saúde,Tecnologia

Ginseng: por que ele deve fazer parte da sua alimentação?

Quando falamos de plantas medicinais, encontramos diversas substâncias com potencial farmacológico com a função de auxiliar no tratamento de doenças e melhorar o bem-estar. Hoje, falaremos sobre o ginseng, uma planta oriental pouco conhecida no Brasil, mas que ganha cada vez mais destaque por seus benefícios à saúde, como no alívio do estresse, suporte à imunidade, melhora da memória e outros.

O que é ginseng e qual a sua composição?

O ginseng é uma raiz rica em antioxidantes, vitaminas e minerais. Por décadas foram realizados estudos clínicos e pesquisas que evidenciam os efeitos benéficos do ginseng para o corpo e a mente. O crescimento dessa raiz é lento e, dependendo do tempo de cultivo, pode apresentar três tipos: fresca, branca ou vermelha. Por ser um processo complexo e demorado, isso torna o ginseng um produto altamente valorizado.

A raiz é composta por vitaminas B1, B2 e B3, agindo no metabolismo da glicose, dos ácidos graxos e dos aminoácidos. Também possui vitamina B12, muito importante para as células vermelhas do sangue e para a manutenção e o desenvolvimento do sistema nervoso. Substâncias como ferro, cobalto e magnésio também estão presentes na raiz. As duas variedades mais comuns da planta são a americana (panax quinquefolius), que tem propriedades mais relaxantes, e a asiática (panax ginseng), que oferece mais atributos energéticos. A palavra “panax” vem do grego e significa “cura total”.

Benefícios do ginseng

O ginseng é repleto de vantagens, como a regulação da pressão sanguínea e a redução do colesterol, além de ser excelente para quem está muito cansado, estressado ou precisando de um estímulo para realizar as tarefas do dia a dia. A raiz torna-se um bom complemento para quem está estudando, em provas ou vivenciando momentos cansativos no trabalho, pois ajuda a deixar o corpo mais relaxado. Dentre os benefícios do ginseng, estão:

– Ação anti-inflamatória;

– Melhorar a circulação sanguínea;

– Prevenir a gripe por ter ação imunoestimulante;

 – Prevenir o câncer;

– Melhorar memória e concentração;

– Promover o bem-estar geral, tanto físico, quanto mental;

– Ser rico em antioxidantes, combatendo o envelhecimento e degeneração celular.

Vale ressaltar que existem outras espécies distintas de ginseng e que a versão asiática/coreana é considerada a mais clássica e original e é ela que recebe os atributos de fortalecer o sistema imunológico, aumentar a memória e concentração e combater a fadiga crônica. Veja como é a relação dessa raiz com alguns benefícios importantes para a nossa saúde física e mental:

Alívio dos efeitos do estresse

O ginseng pode ajudar a regular o eixo HPA (hipotálamo/pituitária/adrenal), atuante em situações de estresse e fadiga. Quando estamos sob muito estresse, o eixo se encontra desequilibrado e a glândula suprarrenal intensifica a liberação do hormônio cortisol, que, ao ser produzido em excesso, pode prejudicar a imunidade e aumentar as chances de doenças, como a diabetes.

Suporte à imunidade

O ginseng é popular por ser um adaptogênico e imunomodulador. Adaptogênico pois ajuda o organismo a se adaptar a situações estressantes e se reajustar e imunomodulador por o proteger o corpo de diversas doenças, como as infecciosas.

Uma análise (1) realizada com pessoas que estavam se recuperando de uma cirurgia de câncer de estômago tratadas com 5.400 mg de ginseng todos os dias, por dois anos, indicou melhoras significativas nas funções imunes, resultando em menos recorrências de sintomas da doença. Um outro estudo (2) sinalizou que pessoas que tomam ginseng podem ter mais chances de viver sem doenças por cinco anos após uma cirurgia curativa do que as que não tomam. Então, podemos observar o suporte positivo que o ginseng oferece ao sistema imune.

É bom para o cérebro

Falando dos benefícios cognitivos do ginseng, não podemos esquecer os efeitos relacionados à memória. A raiz produz uma substância chamada de escopolamina, que age na diminuição de algumas reações químicas que danificam a memória. No entanto, o tipo de ginseng que mais apresentou melhoras nesse sentido foi o de coloração vermelha.

Um outro ponto que favorece as propriedades cognitivas é que o consumo de ginseng pode ajudar a expandir os vasos sanguíneos. Quer dizer que a melhora da circulação sanguínea facilita a passagem de oxigênio para chegar ao cérebro. Sendo assim, acaba promovendo a saúde cerebral de um modo geral.

O uso de ginseng também pode auxiliar na diminuição das chances de desenvolvimento de doenças degenerativas cerebrais, como Alzheimer e Parkinson, exercendo atividade neuroprotetora especialmente em distúrbios relacionados ao envelhecimento.

Como utilizar o ginseng

O ginseng pode ser utilizado no preparo de diferentes receitas. Alguns fazem uso da raiz para cozinhar e temperar certos pratos, e outros realizam uma infusão, resultando em chás relaxantes e nutritivos. Além disso, o ginseng também pode ser encontrado em forma de pó e extrato. Para quem deseja consumir como suplemento, pode optar pela opção em cápsulas.

Receita chá de ginseng

Gostou dos benefícios do ginseng? Para fazer proveito das propriedades dessa raiz, você pode fazer essa simples receita que só leva dois ingredientes:

– 100 ml de água;

– 2,5 gramas de ginseng

Modo de preparo:

 1- Colocar a água para ferver;

 2- Ao notar que está borbulhando, adicionar o ginseng;

 3- Tampar a panela e deixar em fogo baixo por 10 a 20 minutos;

4- Após esse tempo, deve-se coar a receita finalizada;

5- Deverá ser consumido no mesmo dia de preparo.

Como vimos, plantas medicinais são um sucesso para a nossa saúde e o ginseng é uma delas. Após listados esses benefícios que você acabou de ler, provavelmente está curioso para saber onde encontrar essa raiz tão promissora. Como dissemos, a suplementação é um dos formatos onde ela pode ser adquirida. Então, já sabe: responda ao nosso formulário e descubra o que a nossa inteligência artificial tem a dizer pra você.

Você também pode gostar...